Ele quebrou a regra para cumprir a Lei.


    

Quando o pai de família se levantar e cerrar a porta, e começardes, de fora, a bater à porta, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos; e, respondendo ele, vos disser: Não sei de onde vós sois; Lc 18:25

 

         

 

Quando pequena, na verdade, sempre, meu pai dono de mercearia; aos domingos, tirava folga a partir do meio dia, nem bem acabava de fechar e lá estava a constante insistência para que ele abrisse a porta e  exceção para o honrado cliente, todos se consideram assim, pra mim ele abre, é aquela praxe: você sabe com quem está falando? Enfim,   todos querem a urgente mercadoria, em cidade pequena não há expediente, nada abre aos domingos, a saída: não poupar o descanso de papai.

 

O texto de Lucas, remete-me  ao incômodo de minha infância, a busca das chaves, abrir um monte de portas, e, por fim, pegar o item porque estavam insistindo em levar.

 

Meu pai atendia. Quase sempre.

 

Diferente de nosso Deus que é longânimo, mas, justo, e não tem sombra de variação, seu sim é sim; não, não. Naquele Dia quando cerrar  a porta, não abrirá, e ainda dirá: não vos conheço, não sei quem sois.

 

A Bíblia é um livro que se discerne pelo Espírito Santo, e não, é, não.

 

Eu que sempre fui adepta ao jeitinho brasileiro, após me converter, isto é, assim que passei a ouvir a vós de Deus, não me pergunte como é, não tem som. Então, aqui em casa bebemos água mineral, é só ligar, dizer o endereço e em poucos minutos, dimdom; água delivery.

 

Com o bebedouro seco, saí de casa e ao retornar, lembrei que me dirigia a um local sem água, pensei: se só de ligar eles trazem água, com minha presença vão colocar tapete vermelho, levo o galão, depois eles mandam entregar o resto, por ser muito cedo e os entregadores ainda não estarem trabalhando.

 

Oi, vou levar um galão, depois você me manda os outros quatro, e pega o correspondente vazio a este. Qual não foi minha surpresa!

 

Sem galão, não tenho ordem para entregar, dizia uma franzina e obediente mulher, a seu patrão.

 

Mas é só ligar, vocês nem sabem quem sou e mandam entregar! Pasma, sedenta, recém-convertida, eu.

 

Não, meu patrão, não autoriza!

 

Mas… indignada, arrasada, abalada, envergonhada, um monte de ada… pensei: Vou apelar, lembrei do nome de Jesus, e, que vergonha! Apelei: e se eu fosse Jesus, você iria me regular a água, estou sedenta?

 

No que ela me aponta: o bebedouro. Minha cara caiu no chão, lágrimas tímidas não se contiveram, e a memória do texto que Jesus diz: seja o seu sim, sim; não, não.

 

Não existe jeitinho brasileiro no céu.

 

Não mais envergonhada, e sim grata; apoiei a obediência dela, aguardei os entregadores, e passei o dia em estado de graça, pela imemorável lição que o SENHOR acabava de me dar.

 

Portanto, não vos enganeis, está escrito: 

 

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?


E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

 

                                  Mt 7:22-23

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: