Ele quebrou a regra para cumprir a Lei.


Lena veja o que o tempo faz com as pessoas
que não querem perder o gás…
(Lena – Marcelo Novak)  
 

    

 

 

A família brasileira, ainda que sem noção de cristianismo, Bíblia e Palavra de Deus, durante algum tempo foi alimentada pelo romantismo da música popular brasileira e poetas que reverenciavam a mulher como:  Chico Buarque, Vinícius de Moraes e Tom Jobim.

 

Alimentavam a auto-estima da mulher e  o amor na mulher. A poesia cantada por homens sensíveis tinha a função de manter a família em perfeita harmonia, ainda que subliminarmente. A mulher inspirava, o homem cantava. 

 

Algumas das letras que o Chico Buarque fez ou cantou, nunca saíram de mim como:

 

 

“… Novos dias tristes noites claras, versos, cartas, minha cara ainda volto a te escrever, pra te dizer que isso é pecado; Eu trago o peito tão marcado de lembranças de um passado e você sabe a razão…” (Retrato em Branco e Preto)

 

“…Toda gente homenageia Januária na janela, até o mar faz maré cheia, pra chegar mais perto dela…” (Januária)

 

"… esqueci no piano as bobagens de amor que eu iria dizer…" (Lígia – Tom Jobim)

 

O papel da música nos veículos de comunicação tem poder de levar alegria e tristeza, cultura e nobreza, vida e morte.

 

Muitos dizem não entender o porquê de cristãos não quererem ouvir música secular, a questão é: Sairemos edificados pelas músicas cantadas pelo mundo?

 

Corre um e-mail na internet em que há  análise da música e o comportamento do homem desde 1930 até nossos dias, e a decadência da mulher como musa inspiradora é gritante.

 

Hoje, recebi um viral em que uma “sexóloga” com cara de cientista está ensinando o coito anal, com inocentes cenas de suas mãos, sem hipocrisia, deu vontade de chorar.   Uma mulher! Ensinando homem sodomizar outro homem, apesar de não ter visto tudo,  1/3 bastou para gerar esse post.

 

Não sou homofóbica, sou mulherofóbica, estou com tanto nojo dessas sem noção, que hoje entendo porque Salomão disse: que encontrou um homem, mas não encontrou uma mulher digna.

 

Os homens estão tão saturados de tanta abertura das fêmeas, que estão copulando com os machos. Onde está a musa dos poetas do século XX?

 

TODA mulher sábia edifica a sua casa; mas a tola a derruba com as próprias mãos.  Pv 14:1

 

Se a Igreja cumprisse seu papel social o reflexo disso se daria no resgate da dignidade e feminilidade da mulher.

 

A vulgaridade é tanta que casamento virou um contrato de alto-risco,  o que vemos por aí são crianças sem referência de família, abusadas, desiludidas desde a infância pela disseminação da violência e inversão de valores de todas as formas e conteúdo.

 

E a Igreja crescendo. Que paradoxo!

 

Este é o reflexo do crescimento da Igreja?!

 

Hoje não mais a musa… não mais Jobins, Chicos…

não mais … Deus.

 

Pequenas Igrejas Grandes Negócios. 

 

 

          Leia também: Assuntos do Coração

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: