Ele quebrou a regra para cumprir a Lei.

Posts marcados ‘Tutoriais’

Carne X Espírito


 

GÁLATAS 5:16-26

 

  FOTO: FFFFFOUND!

 

 

Nenhum trecho da Bíblia apresenta um mais nítido contraste entre o modo de vida do crente cheio do Espírito e aquele controlado pela natureza humana pecaminosa do que 5.16-26. Paulo não somente examina a diferença geral do modo de vida desses dois tipos de crentes, ao enfatizar que o Espírito e a carne estão em conflito entre si, mas também inclui uma lista específica tanto das obras da carne, como do fruto do Espírito.

 

OBRAS DA CARNE. “Carne” (gr. sarx) é a natureza pecaminosa com seus desejos corruptos, a qual continua no cristão após a sua conversão, sendo seu inimigo mortal (Rm 8.6-8,13; Gl 5.17,21). Aqueles que praticam as obras da carne não poderão herdar o reino de Deus (5.21).

 

Por isso, essa natureza carnal pecaminosa precisa ser resistida e mortificada numa guerra espiritual contínua, que o crente trava através do poder do Espírito Santo (Rm 8.4-14; ver Gl 5.17 nota).

 

As obras da carne (5.19-21) incluem:

(1) “Prostituição” (gr. pornéia), i.e., imoralidade sexual de todas as formas. Isto inclui, também, gostar de quadros, filmes ou publicações pornográficos (cf. Mt 5.32; 19.9; At 15.20,29; 21.25; 1Co 5.1). Os termos moichéia e pornéia são traduzidos por um só em português: prostituição.

 

(2) “Impureza” (gr. akatharsia), i.e., pecados sexuais, atos pecaminosos e vícios, inclusive maus pensamentos e desejos do coração (Ef 5.3; Cl 3.5).

 

(3) “Lascívia” (gr. aselgeia), i.e., sensualidade. É a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência (2Co 12.21).

 

(4) “Idolatria” (gr. eidololatria), i.e., a adoração de espíritos, pessoas ou ídolos, e também a confiança numa pessoa, instituição ou objeto como se tivesse autoridade igual ou maior que Deus e sua Palavra (Cl 3.5).

 

(5) “Feitiçarias” (gr. pharmakeia), i.e., espiritismo, magia negra, adoração de demônios e o uso de drogas e outros materiais, na prática da feitiçaria (Êx 7.11,22; 8.18; Ap 9.21; 18.23).

 

(6) “Inimizades” (gr. echthra), i.e., intenções e ações fortemente hostis; antipatia e inimizade extremas.

 

(7) “Porfias” (gr. eris), i.e., brigas, oposição, luta por superioridade (Rm 1.29; 1Co 1.11; 3.3).

 

(8) “Emulações” (gr. zelos), i.e., ressentimento, inveja amarga do sucesso dos outros (Rm 13.13; 1Co 3.3).

 

(9) “Iras” (gr. thumos), i.e., ira ou fúria explosiva que irrompe através de palavras e ações violentas (Cl 3.8).

 

(10) “Pelejas” (gr. eritheia), i.e., ambição egoísta e a cobiça do poder (2Co 12.20; Fp 1.16,17).

 

(11) “Dissensões” (gr. dichostasia), i.e., introduzir ensinos cismáticos na congregação sem qualquer respaldo na Palavra de Deus (Rm 16.17).

 

(12) “Heresias” (gr. hairesis), i.e., grupos divididos dentro da congregação, formando conluios egoístas que destroem a unidade da igreja (1Co 11.19).

 

(13) “Invejas” (gr. fthonos), i.e., antipatia ressentida contra outra pessoa que possui algo que não temos e queremos.

 

(14) “Homicídios” (gr. phonos), i.e., matar o próximo por perversidade. A tradução do termo phonos na Bíblia de Almeida está embutida na tradução de methe, a seguir, por tratar-se de práticas conexas.

 

(15) “Bebedices” (gr. methe), i.e., descontrole das faculdades físicas e mentais por meio de bebida embriagante.

 

(16) “Glutonarias” (gr. komos), i.e., diversões, festas com comida e bebida de modo extravagante e desenfreado, envolvendo drogas, sexo e coisas semelhantes.

 

As palavras finais de Paulo sobre as obras da carne são severas e enérgicas: quem se diz crente em Jesus e participa dessas atividades iníquas exclui-se do reino de Deus, i.e., não terá salvação (5.21; ver 1Co 6.9 nota).

 

 

O FRUTO DO ESPÍRITO. Em contraste com as obras da carne, temos o modo de viver íntegro e honesto que a Bíblia chama “o fruto do Espírito”. Esta maneira de viver se realiza no crente à medida que ele permite que o Espírito dirija e influencie sua vida de tal maneira que ele (o crente) subjugue o poder do pecado, especialmente as obras da carne, e ande em comunhão com Deus (ver Rm 8.5-14 nota; 8.14 nota; cf. 2Co 6.6; Ef 4.2,3; 5.9; Cl 3.12-15; 2Pe 1.4-9). O fruto do Espírito inclui:

 

(1) “Caridade” (gr. agape), i.e., o interesse e a busca do bem maior de outra pessoa sem nada querer em troca (Rm 5.5; 1Co 13; Ef 5.2; Cl 3.14).

 

(2) “Gozo” (gr. chara), i.e., a sensação de alegria baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de Deus, bênçãos estas que pertencem àqueles que crêem em Cristo (Sl 119.16; 2Co 6.10; 12.9; 1Pe 1.8; ver Fp 1.14 nota).

 

(3) “Paz” (gr. eirene), i.e., a quietude de coração e mente, baseada na convicção de que tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial (Rm 15.33; Fp 4.7; 1Ts 5.23; Hb 13.20).

 

(4) “Longanimidade” (gr. makrothumia), i.e., perseverança, paciência, ser tardio para irar-se ou para o desespero (Ef 4.2; 2Tm 3.10; Hb 12.1).

 

(5) “Benignidade” (gr. chrestotes), i.e., não querer magoar ninguém, nem lhe provocar dor (Ef 4.32; Cl 3.12; 1Pe 2.3).

 

(6) “Bondade” (gr. agathosune), i.e., zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7.37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21.12,13).

 

(7) “Fé” (gr. pistis), i.e., lealdade constante e inabalável a alguém com quem estamos unidos por promessa, compromisso, fidedignidade e honestidade (Mt 23.23; Rm 3.3; 1Tm 6.12; 2Tm 2.2; 4.7; Tt 2.10).

 

(8) “Mansidão” (gr. prautes), i.e., moderação, associada à força e à coragem; descreve alguém que pode irar-se com eqüidade quando for necessário, e também humildemente submeter-se quando for preciso (2Tm 2.25; 1Pe 3.15; para a mansidão de Jesus, cf. Mt 11.29 com 23; Mc 3.5; a de Paulo, cf. 2Co 10.1 com 10.4-6; Gl 1.9; a de Moisés, cf. Nm 12.3 com Êx 32.19,20).

 

(9) “Temperança” (gr. egkrateia), i.e., o controle ou domínio sobre nossos próprios desejos e paixões, inclusive a fidelidade aos votos conjugais; também a pureza (1Co 7.9; Tt 1.8; 2.5).

 

O ensino final de Paulo sobre o fruto do Espírito é que não há qualquer restrição quanto ao modo de viver aqui indicado. O crente pode — e realmente deve — praticar essas virtudes continuamente. Nunca haverá uma lei que lhes impeça de viver segundo os princípios aqui descritos.

 
BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL
CPAD 

Anúncios

Pegadas…


 

 

 

 

 

O homem sensato sempre pensa antes de agir, mas o tolo anuncia a sua ignorância.

Pv 13:16

NVLH

 

Livre Arbítrio


 

LIVRE ARBÍTRIO

Letícia Thompson

 
                 
 
Você já ouviu, alguma vez, falar de Livre-arbítrio? 

Livre-arbítrio quer dizer livre escolha, livre opção.

Em todas as situações da vida, sempre temos duas ou mais possibilidades para escolher. E a cada momento a vida nos exige decisão.

 

Sempre temos que optar entre uma ou outra atitude.

Desde que abrimos os olhos, pela manhã, estamos optando entre uma atitude ou outra.

 

Ao ouvir o despertador podemos escolher entre abrir a boca para lamentar por não ser nosso dia de folga ou para agradecer a Deus por mais um dia de oportunidades.

 

Ao encontrarmos o nosso familiar que acaba de se levantar, podemos escolher entre resmungar qualquer coisa, ficar calado, ou desejar, do fundo da alma, um bom dia. 

 

Quando chegamos ao local de trabalho, podemos optar entre ficar de bem com todos ou buscar o isolamento, ou, ainda, contaminar o ambiente com mau humor.

  

Conta um médico que trata de pacientes com câncer, que as atitudes das pessoas variam muito, mesmo em situações parecidas.

 

Diz ele que duas de suas pacientes, quase da mesma idade, tiveram que tirar um seio por causa da doença.

 

Uma delas ficou feliz por continuar viva e poder brincar com os netos, a outra optou por lamentar pelo seio que havia perdido, embora também tivesse os netos para curtir.

 

Quando alguém o ofende, você pode escolher entre revidar, calar-se ou oferecer o tratamento oposto.

 

A decisão sempre é sua.

 

O que vale ressaltar é que todas as ações terão uma reação correspondente, como conseqüência. E essa reação é de nossa total responsabilidade.

 

E isso deve ser ensinado aos filhos desde cedo. Caso a criança escolha agredir seu colega e leve uns arranhões, deverá saber que isso é resultado da sua ação e, por conseguinte, de sua inteira responsabilidade.

 
Tudo na vida está sujeito à lei de causa e efeito, para uma ação positiva, um efeito positivo, para uma ação infeliz, o resultado correspondente.

 

Se você chega no trabalho bem humorado, alegre, radiante, e encontra seu colega de mau humor, você pode decidir entre sintonizar na faixa dele ou fazer com que ele sintonize na sua.

 

Você tem ainda outra possibilidade e escolha: ficar na sua.

 

Todavia, da sua escolha dependerá o resto do dia. E os resultados lhe pertencem.

 

Jesus ensinou que a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória.

 

Pois bem, nós estamos semeando e colhendo o tempo todo. Se semeamos sementes de flores, colheremos flores, se plantarmos espinheiros, colheremos espinhos.

  

Não há outra saída. Mas o que importa, mesmo, é saber que a opção é nossa. Somos livres para escolher, antes de semear. Aí é que está a justiça Divina. 

 

Mesmo as semeaduras que demoram bastante tempo para germinar, um dia darão seus frutos.

São aqueles atos praticados no anonimato, na surdina, que aparentemente ficam impunes.

 

Um dia, ainda que seja numa existência futura, eles aparecerão e reclamarão colheita.

 

Igualmente os atos de renúncia, de tolerância, de benevolência, que tantas vezes parecem não dar resultados, um dia florescerão e darão bons frutos e perfume.

 

É só deixar nas mãos do jardineiro Divino, a quem chamamos de Criador. 

 

vlw: Judith Gabriela (e-mail) 

Pró-Criação…


 

Alma vivente X Espírito Vivificante…

 

Porque quando dois ou mais estiverem reunidos em meu Nome eu me faço presente. Mt 18:20

 

          

         FOTO: FFFFOUND!

 

Sou o que Sou, Ele É, Era e Há de Vir, o Auto-Existente, cuja Palavra não se contradiz, e apesar de todo o seu Poder, abre o coração para arrazoar, bater um papo, ser questionado, esclarecer, Ele diz: apresente a mim suas razões…(Is 43:26)

 

Tive a felicidade de conhecer e ser instruída por um ilustre professor de Direito que dizia: você pode estar errado mas se seu argumento for convincente e sua convicção tiver lógica, você ganha a causa.

 

Como aconteceu com um crime muito famoso aqui no Brasil, a lei diz sobre legítima defesa da vida, exemplo: se você estiver em alto mar e o barco naufragar, havendo uma única bóia para duas pessoas aquele que se apropriar da bóia em detrimento do outro e este vier a se afogar e morrer, o que sobreviveu  não foi responsável pela morte do outro, porque agiu em   legítima defesa de sua vida.

 

A lei também prevê caso em que a pessoa é ofendida em sua honra, por calúnia, injúria, enfim…

 

Numa dessas genialidades e brechas da lei o advogado ganhou a causa de um crime passional, como num lance de mestre, em que combinou os dois casos e livrou o homicida marido que matou a mulher por: legítima defesa da honra.

 

A Palavra de Deus não se contradiz e está escrito que um homem não pode servir de mulher para outro homem, da mesma forma a mulher não dever usar roupas de homens, cujo significado é o mesmo.

 

Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas 1 Co 6:9, (e neste caso mulher que permite sodomizar, também). 

 

Quando aprendi sobre a Aliança de Deus com Abraão, não entendi o porquê de cortar a carne do prepúcio (operar a fimose)? Minha discipuladora ficou até meio constrangida de me explicar na época, por causa das palavras difíceis nunca tinha ouvido nada parecido,  nem lido. É interessante saber que pelas estatísticas, as mulheres judias, têm baixo índice de incidência ou nenhum  câncer de útero.

 

Depois de  questionar o Senhor me explicou, revelou pela leitura da Bíblia,  que é do órgão genital masculino   que vem a vida para ser gerada na mulher, por isso um pacto de santificação pela  família em prol da criação, Deus quer que as famílias sejam limpas, os filhos puros, a casa abençoada e tudo isso decorre do equilíbrio natural de nos guardarmos física, emocional e espiritualmente. esta é a diferença entre filho de Deus e criatura.

 

Deus não proíbe o Amor entre dois homens, vemos como Jesus amou João, Davi a Jônatas, "Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; quão amabilíssimo me eras! Mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres. II Sm 1:26".  Elias e Eliseu, Paulo e Timóteo, enfim homens que se amavam, tinham afinidade de alma.

 

Quando se é equilibrado há  lugar para discernir entre almas gêmeas, quando um está dentro do outro, é um amor tão profundo e tão lindo que nada, nem ninguém consegue entender a dimensão, só aquele que está vivendo, é lindo, mas consumar isso num ato sexual, não é amor, é hormonal e desequilibrio.

 

Não pedi para nascer assim. Já ouvi isso de muitos dos meus amigos, mas se formos averiguar o passado da família e o total desequilíbrio dos relacionamentos de seus antepassados vemos a causa,  espíritos antepassados que chilreiam nas famílias; (Pactos feitos anteriormente pelos pais e antepassados) 

 

Quando, pois, vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos? Is 8:19

 

E será que, como velei sobre eles, para arrancar, e para derrubar, e para transtornar, e para destruir, e para afligir, assim velarei sobre eles, para edificar e para plantar, diz o SENHOR.

Naqueles dias nunca mais dirão: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram.

Mas cada um morrerá pela sua iniqüidade; de todo o homem que comer as uvas verdes os dentes se embotarão.

Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá.

(Jr 31:28-31)

 

Não te encurvarás a elas, nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. Dt 5:9

 

Ele levou sobre si todas as maldições Is 53, a única forma de ser liberto de espíritos é aceitando o senhorio de Jesus, Rm 10:9, e o que quer fizer isso, acreditar que o sacrifício dele foi suficiente para cobrir nossos pecados e nos purificar de toda a maldição, e aos poucos pelo ouvir a Palavra de Deus e pela nossa busca, somos libertos dos vícios e pecados. Porque Ele nos convence da justiça do pecado e do juízo.

 

Posso dizer que fui liberta do vício do cigarro que fumava desde os doze anos, por um milagre, no entanto, tenho lutado para vencer outros me abstendo  e aguardando a fé que irá me curar no momento próprio de algumas práticas que me prendem. Eu creio na cura.

 

Jesus disse: vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei, tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou humilde e manso de coração, porque o meu fardo é leve e meu jugo é suave. (Mt 11:28-30).

 

Hoje o sexo se tornou um vício, lazer, uma forma de manipular as pessoas a comprar e  enriquecer, perdeu toda a conotação; e o amor próprio à auto-estima inexistem, culto ao corpo não tem  a ver com auto-estima, princípio da sabedoria é o temor a Deus, também se perdeu em alguma curva do rio que está conduzindo todos ao caldeirão do inferno.

 

Infelizmente…

 

Em Daniel está escrito a causa do porquê o Anticristo gay:

 

E não terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres, nem a deus algum, porque sobre tudo se engrandecerá. Dn 11:37

 

 

 

 

  

Deve o crente nunca julgar? (final)


 

     

       Deve o crente nunca julgar? (final)

 

E) Outros assuntos a serem julgados: 

– Conduta imoral: "Geralmente se ouve que há entre vós fornicação, e fornicação tal, que nem ainda entre os gentios se nomeia, … 13 … Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo. " (2Co 5:1,13);

 

– Disputas por coisas desta vida, particularmente disputas levadas à justiça governamental: "1 Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? … 3 Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?" (1Co 6:1-8).

 

F) Deveríamos nos julgar a nós mesmos.

Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados. (2Co 13:5)

 

Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. (1Co 11:31)

 

.     Que mudança e que bênção se julgássemos nossas próprias falhas tão impiedosamente quanto fazemos às dos outros — e se julgássemos as dos outros tão caritativamente quanto fazemos com as nossas!

.     Quanto nos pouparíamos de muitas punições corretivas de Deus, se julgássemos e confessássemos e cessássemos nossa desobediência a Deus!

.     E, Oh, quanto pouparíamos nosso abençoado Senhor da desonra e falta de frutos das nossas vidas!

 

G) Limitações do julgamento humano

– Não podemos julgar meras questões de consciência (que não têm explícita ordem nem é indiscutível implicação da Bíblia)

.    "1 Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas. … 3 O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; … 13 Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão. …" (Rm 14:1)

.     "23 Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; … 29 Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. …. 32 Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus." (1Co 10:23-33)

.    "16 … ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, 17 Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo." (Cl 2:16-17).

 

– Não podemos julgar motivos. Só Deus pode ver o coração, nós só podemos agir sobre as ações.

"… 5 Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor." (1Co 4:1-5)

– Não podemos sentenciar que não é salvo quem professa sê-lo, professa-o pelos motivos bíblicos, "… O Senhor conhece os que são seus …" 2Tm 2:19. Mas é melhor que testemos a nós mesmos, de acordo com "… se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." 2Co 5:17

 

H) O princípio mais fundamental ao julgarmos

. {krino} às vezes significa discernir, decidir, determinar, testar, ponderar, questionar, distinguir. Deus quer que questionemos, testemos, ponderemos, discirnamos, determinemos, decidamos, distingamos aos pregadores e mestres, com seus ensinos, se se alinham perfeitamente com a Bíblia:

"Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal." (He 5:14).

 

. {krinos} às vezes significa julgar sentenciando, condenando, e punindo. Isto é prerrogativa de Deus,

"Não vos vingueis a vós mesmos, … Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor." (Rm 12:19).

 

.     Crentes devem discernir, não se vingarem.

Discernir, não julgarem sentenciando e punindo por negar a vida eterna e  desejando a morte.

Discernir sinceramente, não hipocritamente.

Discernir pela Palavra, não pela carne farisaica, pelo nem coração carnal.

 

I) Guardemo-nos contra uma atitude errada

Os crentes devem se guardar contra a tendência (da carne) de assumir atitude crítica, de censor, contra aqueles que não compartilham suas [exatíssimas] meras opiniões sobre assuntos outros que aqueles das doutrinas e conduta moral claramente ensinadas na Bíblia. Ao invés de "reduzir a pedaços" nossos irmãos em Cristo, é nosso privilégio (e dever) fazer tudo que pudermos para encorajarmos seus crescimentos espirituais. Devemos amar e orar um pelos outros, e olhar por nós mesmos para que não sejamos também tentados.

 

J) Uma palavra final

     Se tu já foste eternamente salvo, meu leitor, não esqueçamos que "… todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo …" (2Co 5:10). Ganharão aqueles que estão estudando a Palavra de Deus, andando em função e à luz dela, vivendo para Cristo e para a salvação de almas. Perderão aqueles que, embora tenham aceito Cristo, estão vivendo para as coisas deste mundo.

 

     Se tu meramente professas Cristo de lábios, ou não professas nada, então, meu amigo, permite-me amorosamente relembrar-te que "… já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?" (1Pe 4:17). Não adies sequer mais um outro minuto para pedir que Deus te perdoe os pecados, por causa de Cristo. Rende teu coração e tua vontade ao amoroso Salvador que morreu por ti. Faze-O Senhor de tua vida. Feliz e abençoado serás, agora e para sempre.

 

Solascriptura 

Deve o crente nunca julgar?(3)


 

Deve o crente nunca julgar?(3)

 

D) Versos semelhantes (ver suas notas), dirigidos a hipócritas que a todos julgavam severamente (mas a si próprios não julgam):

 

– D.1.    Rm 02:01-03 "Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo. 2 E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem. 3 E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus?".

 

Isto de modo nenhum nos proíbe de reta e biblicamente julgarmos (primeiro discernindo; depois instruindo os sinceros e fracos; finalmente advertindo, repreendendo, denunciando, expulsando, radicalmente se separando e combatendo os rebeldes, como Jesus aos fariseus e Lutero ao romanismo): o texto é dirigido a hipócritas que a todos julgam do modo errado (severamente sentenciando e executando quanto à vida eterna [e, se possível, tirando a vida física]), mas a si próprios em nada se julgam (como os fariseus julgaram sentenciando e executando a Cristo, e o papismo aos verdadeiros crentes, na Inquisição);

 

– D.2.    Tg 4:11-12 "Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. 12 Há só um legislador que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?".

 

    Isto de modo nenhum nos proíbe de reta e biblicamente julgarmos: o texto é dirigido a hipócritas que a todos julgam do modo errado, e a si próprios em nada se julgam;

 

– D.3.    Mt 13:24-30, (explicada em 36-43) (PARÁBOLA DO JOIO E DO TRIGO: durante a dispensação da Graça e na Tribulação, há o crente falso disfarçado de real, e há erro sutilmente inoculado pelo Diabo, disfarçada mas terrivelmente corrompendo a massa) "… O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo; 25 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. 26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. 27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? 28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? 29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. 30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro. …  37 … O que semeia a boa semente, é o Filho do homem; 38 O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno; 39 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos. 40 Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo. …"

 

.    Aqueles contrários a qualquer disciplina, denúncia ou separatismo dizem "nunca digamos nenhuma palavra nem tomemos nenhuma ação contra nada nem ninguém, para não arriscarmos estar arrancando trigo por joio, só Deus pode fazer isto, ao final".

 

.    Mas, pela Bíblia, dizemos da parábola do joio Mt 13:24-30,36-43: Há 2 grupos no mundo: os filhos de Deus (aqueles que receberam Cristo Jo 1:12) e os filhos do Diabo (aqueles que rejeitaram Cristo Jo 8:44).

 

.    Quando quaisquer dos filhos do inimigo, oh quão disfarçadamente, se introduzem na nossa igreja (quão usual!), a Palavra de Deus nos dá um procedimento bem definido, a seguirmos:

 

A) temos a obrigação de dizer-lhes "não tendes parte nem sorte em Cristo" (At 8:21-23 e contexto);

 

B) se eles não saírem voluntariamente (quão usual!), temos a obrigação de expulsá-los do nosso meio (1Co 5:7);

 

C) se nós desobedecermos (quão usual! quão trágico!), eles terminarão tomando o controle;

 

D) a este ponto sem volta, os que se propuseram ser fiéis a Cristo e Sua Palavra são ordenados "… saí do meio deles, e apartai-vos, diz o SENHOR …" (2Co 6:17), mesmo que completamente percam propriedades e coisas mais importantes,

 

E) o fiel não se guia pelo coração (Jr 17:9), nem pelo temor das conseqüências (conveniências, admiração e amizades, perda total de propriedades, etc.) (nem sequer cogita dessas conseqüências) , não tem outro alvo que ser fiel, não tem outro temor que não ser fiel. Quando obedecemos à Palavra de Deus, podemos confiar que Ele estará tomando conta de todas as conseqüências da nossa obediência.

 

 

 

– A Bíblia nunca se contradiz, para entendermos um verso temos que vê-lo à luz de quem está falando e a quem, e referente a qual  dispensação; à luz do contexto imediato; e à luz do contexto de toda a Escritura "… nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação." 2Pe 1:20; "… comparando as coisas espirituais com as espirituais." 1Co 2:13.

Solascriptura 

Deve o crente nunca julgar?(2)


 

Sai dela Povo Meu

 

 Vejamos mais ordens, ordens do Senhor …

.     "Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei" (2Co 6:17, ou 14-18).

 

.     "Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te." (2Tm 3:5).

 

.     "Mandamo-vos, porém, IRMÃOS, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o IRMÃO que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu." (2Ts 3:6).

 

.     "E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as." (Ef 5:11).

 

.      "O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem." (Rm 12:9).

 

.     "Examinai tudo. Retende o bem." (1Ts 5:21).

 

– Seria impossível obedecermos todas essas ordens se não testássemos e julgássemos. E não lembrássemos que nada é bom (nem, ao menos, tolerável) aos olhos de Deus se não se alinha com Sua Palavra:

 

.     "Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo." (1Jo 4:1)

 

.     "Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo. … 10 Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. 11 Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras." (2Jo 1:7,10-11).

 

– Se você contribui para um orçamento denominacional que você sabe que sustenta pelo menos um modernista, uma pessoa que não crê algum dos pontos fundamentais da doutrina bíblica, você é culpado, perante Deus, de saúdá-lo, de ser seu cúmplice em espalhar veneno levando almas ao Inferno! Obedeça a Deus no que Ele ORDENOU "saí do meio deles" (2Co 6:17), não tema sofrer:

 

"Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;" (2Tm 2:12)

 

 

C) Mt 7:1 é freqüentemente tirado fora do contexto, é mal entendido e mal usado, analisemos Mt 7:1-5.

 

"1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. 3 E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? 5 Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão."

 

.     Estes versos são dirigidos a um hipócrita (v. 5) que a todos julga severamente demais, mas a si mesmo em nada se julga — os versos NÃO são dirigidos àqueles que sinceramente anseiam discernir se um mestre e seu ensino se alinham com a Palavra de Deus.

 

.     Estes versos, longe de proibir o julgar reta e biblicamente (isto toda a Bíblia ordena), são uma solene advertência contra o julgamento hipócrita. Ademais, na realidade, o último verso da passagem ordena julgarmos com sinceridade: "… então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão." (v. 5)

 

.     Muitos que, fora do contexto, "piedosamente" citam "não julgueis" para defenderem algo que é contra a Palavra de Deus, não vêem como são inconsistentes: na realidade, assim fazendo, eles estão julgando aqueles que simplesmente querem obedecer a Palavra de Deus quando ordena julgarmos aquilo que a contraria!

 

.    Julgar é inescapável, a questão é se vamos julgar quem quer obedecer ou se vamos julgar quem quer desobedecer à Palavra! …

 

.    Quão trágico que tanta coisa contrária à Bíblia tome indevido abrigo debaixo de tão mal uso de Mt 7:1 …

 

– A razão pela qual a cristandade está hoje irreconhecível de tão desbastada, degenerada e paralisada pelo satânico modernismo, é que os crentes não têm obedecido à ordem de Deus de radicalmente julgarem e denunciarem + combaterem + expulsarem + afastarem-se + separarem-se dos falsos mestres e falsos ensinos, desde o primeiro instante que eles começaram a tentar introduzir seu primeiro milímetro no nosso meio. Saúde física só é mantida pela total separação dos germens causadores de doenças [como o Ebola], saúde espiritual só é mantida pela total separação dos germens portadores das falsas doutrinas. O maior de todos os perigos de nossos dias não é o julgarmos demais, mas sim o julgarmos de menos, os engodos espirituais. Deus quer que sejamos como os bereanos "… examinando [!] cada dia [!] nas Escrituras [!] se estas coisas eram assim [!]." At 17:11.

solascriptura

 Continua…

%d blogueiros gostam disto: